18 julho, 2010

Métodos de Triagem Nutricional


Para um melhor acompanhamento do estado de saúde dos indivíduos, principalmente os enfermos, é de extrema importância a avaliação do risco nutricional ou presença de desnutrição. Cabe lembrar que a desnutrição pode não estar ligada ao baixo peso do indivíduo, podendo ser o resultado de uma má alimentação causada por um desequilíbrio entre as necessidades nutricionais e a ingestão alimentar, com deficiência de macronutrientes e/ou micronutrientes.

O risco nutricional pode ser classificado em alto, moderado e mínimo risco:

Mínimo risco - o indivíduo deverá atender dois ou mais dos seguintes critérios

  • Peso atual maior que 90% do ideal; perda de peso: maior que 1 em 1 semana, 2% em 1 mês, 5% em 3 meses, 7,5% em 6 meses; Ingestão oral inadequada.

Diagnósticos: anemia, febre sem origem conhecida, hipertensão, fratura de quadril, diverticulite, icterícia, gestação sem complicações, epilepsia, cirurgia de pequeno porte.

Moderado risco - o indivíduo deverá atender dois ou mais dos seguintes critérios

  • Peso atual de 80 – 90% do ideal; perda de peso: 1- 2% em 1 semana, 5% em 1 mês, 7,5% em 3 meses, 10% em 6 meses; ingestão oral ruim ou jejum por mais que 5 dias; diagnósticos: abscessos, gestação em adolescentes, amputação, ascite, insuficiência renal crônica, cirrose, colite, insuficiência cardíaca crônica, tuberculose, alergias alimentares múltiplas.

Alto risco - o indivíduo deverá atender dois ou mais dos seguintes critérios

  • Peso atual menor que 80% do ideal; perda de peso: maior de 2% em 1 semana, maior que 5% em 1 mês, maior que 7,5% em 3 meses, maior que 10% em 6 meses; ingestão oral ruim ou jejum por mais que 7 dias; diagnósticos: Insuficiência Renal aguda, AIDS, transplantes de medula óssea, trauma, fraturas múltiplas, pancreatite, síndrome do intestino curto, encefalopatia hepática, fase aguda de doença de Chron, obstrução intestinal e queimadura superior a 20% da superfície corporal.

A triagem nutricional é o processo de identificação das características associadas com problemas nutricionais ou dietéticos, com o objetivo de identificar indivíduos desnutridos ou em risco de desnutrição. Existem diversos métodos de triagem nutricional, sendo os mais utilizados o MUST e o NRS.

MUST (Malnutrition Uviversal Screening Tool)

O MUST é um método direcionado aos adultos com o objetivo de detectar desnutrição. Para essa análise são consideradas três diferentes variáveis IMC (índice de massa corporal), percentual de perda de peso e padrão alimentar nos últimos 5 dias, cada um desse indicadores leva uma determinada pontuações de acordo com seu resultado, esse pontos são somados e o risco nutricional é classificado em baixo, médio e alto risco.

IMC ( Kg/m²)

Pontos

Menos ou igual a 20

0

Entre 18,5 e 20

1

Menor que 18,5

2

Percentual de perda de peso (3-6 meses)

Pontos

Menor ou igual a 5%

0

Entre 5 e 10%

1

Maior que 10%

2

Efeito de doença: + 2 pontos se houve ou há possibilidade de ausência de ingestão alimentar por mais que 5 dias

Resultado:
Total 0 pontos: baixo risco nutricional
Total 1 ponto: médio risco nutricional
Total 2 ou mais pontos: alto risco nutricional


NRS (Nutritional Risk Screenig)

O objetivo principal é detectar desnutrição ou risco de desnutrição em pacientes hospitalizados, além disso, considera o fator de estresse do individuo à partir da enfermidade presente, constituído por duas partes:

Parte 1: NRS


IMC <>

SIM


NÃO

Houve perda de peso não intencional em 3 meses?




Houve diminuição da ingestão na última semana?




Paciente é portador de doença grave, mau estado nutricional ou em UTI




Quando as respostas são “sim” para qualquer questão, deve ser feita a segunda parte do teste

Parte 2: NRS


Score

Situação nutricional

0

Estado nutricional normal

1 (leve)

Perda de peso maior que 5% em 3 meses ou ingestão alimentar 50 a 70% das recomendações na última semana

2 (moderado)

Perda de peso maior que 5% em 2 meses ou IMC 18,5 -20,5 mais piora do estado geral ou ingestão alimentar 25 a 60% das recomendações na última semana

3 (grave)

Perda de peso maior que 5% em 1 mês (>15% em 3 meses) ou IMC <>

Score

Gravidade da doença (aumento das necessidades nutricionais)

0

Necessidades nutricionais normais

1 (leve)

Fratura de quadril, pacientes crônicos, complicações agudas: DPOC, hemodiálise crônica, diabetes e câncer

2 (moderado)

Cirurgia abdominal de grande porte, fraturas, pneumonia grave, leucemia e linfomas

3 (grave)

Transplantes de medula óssea, pacientes graves

Pontuação NRS:

Menor que 3: reavaliar o paciente semanalmente. Se o paciente tem indicação de cirurgia grande porte, considerar planos de cuidados.
Igual ou maior que 3: o paciente está em risco nutricional e o cuidado nutricional deve ser iniciado.

Para pacientes acima de 70 anos deve-se adicionar mais 1 ponto.
Ao analisar a gravidade da doença, deve-se atentar as necessidade protéicas e a forma de reposição mais indicada

Classificação por gravidade da doença

Pontuação = 1: a necessidade protéica está aumentada, mas o déficit protéico pode ser recuperado pela alimentação oral ou pelo uso de suplementos, na maior parte dos casos.

Pontuação=2: a necessidade protéica está substancialmente aumentada e o déficit protéico pode ser recuperado na maior parte dos casos com o uso de suplementos orais.

Pontuação = 3: a necessidade protéica esta substancialmente aumentada e não pode ser recuperada somente pelo uso de suplementos orais/dieta enteral.

O NRS é de fácil execução, pode ser aplicado por profissionais da equipe multidisciplinar, é objetivo, pode ser utilizado em pacientes hospitalizados ou domiciliares, entretanto, não é sensível a pequenas alterações nutricionais.


Matéria retirada do site RG Nutri

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Enfeite o blog com seu comentário !!

Postar um comentário